Talita Hoffmann

image

Talita Hoffmann, 29, formada em design gráfico e trabalha como ilustradora e artista plástica há mais ou menos uns 10 anos. Nascida em Porto Alegre/RS e hoje em dia morando em São Paulo, já fez exposições individuais e coletivas aqui em São Paulo e em lugares como Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Estados Unidos, Espanha, Argentina, Inglaterra, Coréia do Sul e Taiwan. 

Você é de Porto Alegre, e veio para cá fazem 7 anos. Como foi o processo de se estabelecer em São Paulo?

Foi interessante. Ainda não cansei de me surpreender com São Paulo e as possibilidades de encontros que a cidade traz. O caos todo é meio assustador no início mas é empolgante também. Vim pra cá pra trabalhar com arte, algo que eu acho que é mais difícil em Porto Alegre, e nesse sentido São Paulo tem me tratado bem.

Hoje seu atelier é no centro, a poucos metros da Praça da Sé, Vale do Anhangabaú e outros lugares icônicos de São Paulo. Que relação esse meio tem na sua vida e na sua arte?

É um espaço bem confuso e barulhento, e eu acho que um pouco uma síntese de São Paulo. A arquitetura daqui acabou me influenciando bastante, os terrenos de obras, os prédios novos e velhos disputando espaço. Me mudei pro centro em 2015 e fiz uma série de pinturas chamada “Areia Movediça” que é inspirada um pouco nessa espécie de colagem visual que tem aqui.

Geralmente quantas etapas tem até um trabalho seu ser concluido?

São processos diferentes quando se trata de um trabalho artístico, ou quando se trata de uma ilustração, ou um trabalho de design. No primeiro caso surge inicialmente uma ideia, algumas referências que se entrecruzam por algum motivo, e algumas imagens que eu guardo e fico pensando a respeito. No caso da pintura eu sempre faço vários desenhos antes, e algumas anotações também. Às vezes acontece de desenhos que eu faço em cadernos virarem ideias pra quadros, etc. São desenhos que eu faço em cafés matando algum tempo, ou enquanto espero a comida no restaurante. É um lugar mais solto e descompromissado que faz a criatividade fluir mais. No processo de pintar mesmo são várias camadas, e às vezes é meio difícil saber quando o trabalho fica pronto. No caso de ilustrações e trabalhos comissionados sempre parto de uma demanda específica, e a busca por referências tem outras variáveis. Enfim, é um processo de criação em conjunto com algum cliente, então tem suas diferenças.

image

Dê um conselho de vida.

Conselhos que eu mesma preciso lembrar de seguir: se divirta com seus amigos sempre que possível e se preocupar muito é um saco.

Poderia citar artistas e obras que te motivam? (Artistas plásticos, músicos, escritores, enfim, qualquer artista)

Das artes plásticas: Ed Ruscha, Walker Evans, Robert Crumb, Robert Rauschenberg, LS Lowry, Henri Rousseau. Na música: Bob Dylan, Billie Holiday, Caetano Veloso, Velvet Underground, David Bowie, B-52’s. Na literatura: João Ubaldo Ribeiro, Luis Fernando Veríssimo, John Fante, Philip Roth.

Indique 3 lugares especiais pra você em São Paulo.

Difícil só três, transito muito entre esses: cinema Belas Artes, Av. Paulista no domingo, Pavilhão da Bienal e o Ibirapuera, Praça da República, o centro inteiro, Augusta e Frei Caneca, MASP e USP.

image